8 de fevereiro de 2021

Covid-19: Construção Civil não registra mortes no estado

Medidas de prevenção adotadas pelo setor evitou vítimas fatais da doença. Levantamento foi feito pela Ademi-AL

Mesmo diante de um ano difícil em 2020, o setor da construção civil no estado de Alagoas tem o que comemorar. E não é apenas devido à crescente do setor, que continuou gerando renda, economia e não parou, mesmo diante da pandemia. É que o segmento comemora os resultados positivos proporcionados pelas medidas de prevenção implantadas nos canteiros de obra, que zeraram a taxa de vítimas fatais do Novo Coronavírus no estado.

É o que confirma um acompanhamento realizado pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi-AL) que revela que entre abril e dezembro de 2020, dos 5143 trabalhadores ativos da construção, 898 foram afastados temporariamente por suspeitas de Covid-19. Destes, 250 casos foram confirmados – cerca de 4,86% do total de colaboradores. A pesquisa foi realizada em 65 canteiros de obras, comandados por 30 construtoras alagoanas.

“Consideramos a ausência de óbitos entre os trabalhadores alagoanos da construção civil uma grande vitória a ser celebrada por todos e que está diretamente relacionada às medidas de proteção que foram imediatamente implantadas”, afirma Jubson Uchôa, presidente da Ademi-AL.

 

 

Cada um fazendo a sua parte

 

Desde o início da pandemia, a Colil Construções realizou um intenso trabalho de conscientização e educação dos trabalhadores, elaborando um rigoroso protocolo de prevenção, que abrange não só os canteiros de obras, mas também o setor administrativo.
“Mesmo em quarentena, a administração da empresa continuou trabalhando no sistema de lockdown, pensando numa forma de garantir a integridade física de nossos funcionários e de continuar gerando emprego e renda no estado. Acionamos nossos técnicos em segurança no trabalho e estabelecemos uma rotina bem estruturada e responsável com todos. Além das medidas adotadas, nós realizamos todo um trabalho de conscientização com nossos funcionários, clientes e corretores, sobre a importância da higienização do ambiente e das mãos”, disse o administrador da Colil, Hugo Dâmaso.

Fora do escritório, as medidas se estenderam também para os canteiros de obras. E lá, foram mais além. É o que conta o engenheiro Jhonson Pinto, responsável pela obra do edifício Grand Fortune, localizado na Ponta Verde. “Além de afastar o grupo de risco, nós dividimos nossa equipe em dois grupos, de maneira que eles entram e largam do trabalho e fazem as refeições em horários diferentes, diminuindo, assim, a aglomeração de pessoas. Além disto, diariamente temos uma pessoa aferindo a temperatura de todos que entram no canteiro. Caso haja alguma anormalidade, o indivíduo é isolado e encaminhado à uma unidade de saúde”, explicou.

A limpeza dos ambientes e materiais utilizados no trabalho também têm merecido atenção redobrada, de maneira que a equipe de serviços gerais recebeu um treinamento específico para a desinfecção das áreas comuns.

E para garantir que as medidas cheguem às casas de cada colaborador, a empresa distribuiu kits pessoais de máscaras e álcool em gel, além de reforçar, diariamente, os cuidados com a lavagem das mãos e dos ambientes. “Nós distribuímos estes kits para que todos possam fazer da limpeza um hábito e, assim, se proteger e proteger a todos”, acrescentou o engenheiro.

 

Com informações da Ademi-AL

8 de fevereiro de 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *